CNE foi capa do Diário de Notícias

Ir em baixo

CNE foi capa do Diário de Notícias

Mensagem  Lince do Mato em Qua 25 Nov - 20:29

CNE foi capa do “Diário de Notícias”
“Escutas fazem maior reforma em 30 anos”

por Hélder Robalo, “Diário de Notícias”, 23 Novembro 2009

O Corpo Nacional de Escutas vai aplicar em 2010 um novo programa educativo que tem sido preparado nos últimos oito anos. Caberá a cada escuteiro definir os seus objectivos e como os atingir

A Marisa sempre teve muitos amigos e sempre foi equilibrada a gerir os conflitos entre eles. E, no seu programa educativo do Corpo Nacional de Escutas (CNE), traçou uma meta ambiciosa: como delegada de turma "obrigou-se" a batalhar para mudar o ambiente de trabalho e para tornar as relações mais agradáveis. Agora terá de atingir este objectivo para ser avaliada positivamente.

Este é um dos muitos exemplos de como passará a ser feita a avaliação dos escuteiros do Corpo Nacional de Escutas, que representa a maior reforma dos últimos 30 anos e que entra em vigor em Outubro de 2010. Segundo o Secretário Nacional Pedagógico do CNE, Pedro Duarte Silva, "a actual metodologia encontra-se em vigor desde 1980 e estava um pouco desenquadrada da realidade da sociedade que agora temos".

Em traços gerais, explica o responsável, o principal objectivo passa por uma negociação com cada escuteiro sobre quais os objectivos que pretende atingir ao nível dos diversos "trilhos" - entre os quais a autonomia, responsabilidade, bem estar físico e resolução de problemas, entre outros - e como fará lá chegar. "Antes o sistema de progressão pessoal era baseado numa série de provas que todos tinham de cumprir", frisa o responsável. Agora há um enfoque nas especificidades de cada um.

O processo de Renovação da Acção Pedagógica (RAP) começou em 2001 e contou com a participação de centenas de dirigentes, diz Pedro Duarte Silva.

O objectivo era criar um Programa Educativo mais próximo das novas realidades sociais dos jovens.

As metas, refere o Secretário Nacional Pedagógico, não mudaram. "O que muda é a forma como se chega lá". O programa "torna o edifício pedagógico mais coerente e assenta numa abordagem mais personalizada" e, simultaneamente, "estimula a relação entre a vida escutista e a quotidiana".

No ano dos escuteiros de 2008/2009 - equivalente ao ano lectivo - foi colocada no terreno um projecto piloto para testar as novas regras em 92 agrupamentos locais.

Segundo Manuel Guerra, Chefe de Agrupamento 320-Évora, um dos 92 agrupamentos aderentes, "foi uma experiência muito enriquecedora". As principais dificuldade, admite, foram sentidas ao nível dos mais novos "que ainda não têm tanta consciência do que lhes é pedido". "Ao nível dos Caminheiros (dos 18 aos 22 anos) a metodologia é muito semelhante, pois já dependia muito das escolhas pessoais de cada um", explica Manuel Guerra, frisando que "é sobretudo entre os Exploradores e Pioneiros que se sentem as maiores diferenças, mas que eles aceitaram como um novo desafio".

Ao mesmo tempo, refere, "o novo programa também exige mais dos próprios responsáveis, pois há uma relação de maior proximidade, sobretudo com os mais novos". Apesar de algumas dificuldades, assegura que "o balanço deste ano é positivo.



As quatro secções dos escuteiros portugueses
Lobitos. São os elementos mais jovens do CNE, abarcando crianças dos 6 aos 10 anos.
Exploradores. O segundo escalão engloba os escutas com idades dos 10 aos 14 anos.
Pioneiros. Este é o escalão dos rapazes e raparigas dos 14 aos 18 anos.
Caminheiros. Sãos os escuteiros mais velhos: os jovens com idades dos 18 aos 22 anos.

Há cerca de 64 mil no País

Em Portugal existiam em 2007 cerca de 64 mil escuteiros efectivos do Corpo Nacional de Escutas (CNE), o maior do País. Número que, segundo Pedro Duarte Silva, se tem vindo a manter estável nos últimos anos. "Há algumas perdas nas zonas mais interiores e nos centros históricos dos grandes centros urbanos, mas, em compensação, tem-se conquistado efectivos nas zonas periféricas das cidades", explica o Secretário Nacional Pedagógico do Corpo Nacional de Escutas. Dos 64070 escuteiros recenseados em 2007, 11346 eram dirigentes. Já por secções, a que tinha mais elementos eram os Exploradores, com 17329 elementos. Já os Lobitos contabilizavam 15405, enquanto os Pioneiros eram 12468 escuteiros. Em relação aos Caminheiros estavam contabilizados 7522 elementos. A sua distribuição no País mostra que em 2007, Braga era a região que tinha mais elementos, num total de 15242 escuteiros, dos quais 2600 eram dirigentes. Seguia-se a região de Lisboa com 10955 elementos. Depois surgiam a região do Porto (8177), Setúbal (3996), Coimbra (3529) e Aveiro (3529).
Publicado em: 24 Nov 2009
avatar
Lince do Mato
Pai

Mensagens : 1397
Data de inscrição : 24/10/2009
Idade : 44
Localização : Porto

http://www.391antas.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum